Postagens

Mostrando postagens de junho, 2012

“Mania de Criticar ou julgar pode Desvendar a Bipolaridade”

"Mania de Criticar ou julgar pode Desvendar a Bipolaridade"   É interessante a invenção de novos nomes ou diagnósticos para descrever velhas patologias conhecidas. Assim como a síndrome de pânico foi uma mera derivativa das chamadas fobias, a bipolaridade é o nome moderno para o chamado transtorno maníaco-depressivo.   A renomeação de moléstias segue o princípio da maquiagem moderna farmacológica, dando certa ilusão de um instrumento mais efetivo e poderoso no combate à doença.   Como todos sabem, a bipolaridade é definida principalmente pela constante e repetitiva oscilação do humor e comportamento do sujeito; ora um estado depressivo, melancólico, ou a euforia, alegria e uma energização que deixa perplexo todos que convivem com a pessoa. A primeira coisa interessante para se notar é que ao contrário do que muitos pensam, o fenômeno da agressividade não se encontra no pólo maníaco, mas justamente na fase depressiva. A explic

A Expulsão da Infância

A Expulsão da Infância   É preciso que pais, educadores e a justiça repense o que alguns  programas de auditórios na televisão, estão fazendo com  a "Infância" e o pior com autorização dos seus próprios pais, cujos a  maioria (dos pais)  "projetam em seus filhos os  conteúdos, desejos  recalcados, reprimidos  da sua infância, ou mesmo do  seu Édipo mal resolvido ou não dissolvido. Os filhos (crianças) televisivas têm que desejar e realizar os desejos dos seus pais, têm que aumentar a audiência e dar Ibope, e me pergunto isso não seria uma forma de trabalho infantil.; fica aí a minha sugestão de reflexão aos nossos educadores, juristas e juízes As Crianças que  se vestem como adultos e imitam  ser "artistas" ou cantores é o verdadeiro furto e abandono da sua "Infância" para se transformar em imitadores de ser "Adultos" fora de época e fora do tempo. Em  algumas dessas crianças já "percebe-se" que são proj

In Memorian: Autor do 'Vocabulário da Psicanálise' França

Morre Jean Laplanche, autor do 'Vocabulário da Psicanálise' PARIS, 08 Maio de 2012 (AFP) - O filósofo, Psiquiatra e Psicanalista francês Jean Laplanche, autor do "Vocabulário da Psicanálise", morreu no domingo em Beaune (centro-oeste da França) aos 87 anos, anunciou a Associação Psicanalítica da França (APF). Depois de realizar sessões de psicanálise com Jacques Lacan, Laplanche se distanciou sensivelmente de seu ex-analista, fundou em 1964 a Associação Psicanalítica da França e foi professor na Sorbonne. Em 1967, publicou uma obra que se tornou uma "bíblia" da psicanálise.  "O Vocabulário da Psicanálise", traduzido para quinze idiomas. Anteriormente, havia participado do movimento de Resistência contra a ocupação nazista da França no início dos anos 40. Além de ter sido doutor honoris causa de várias universidades, Laplanche foi proprietário até 2003 do castelo de Pommard e de 20 hectares de vinhedos que permitiram a ele produzi

Juíza TRT Ministra Curso com Temas da Psicanálise

Juíza do TRT de Minas Ministra curso na JT da Paraíba com Temas da Psicanálise A juíza Adriana Goulart de Sena, titular da 35ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte (MG) e membro do Comitê Gestor da Conciliação no CNJ, participou, na última semana, do curso "Psicologia Jurídica aplicada ao processo trabalhista e técnicas de conciliação" promovido pela Escola Judicial do TRT da 13ª Região, na Paraíba. Foram abordados os seguintes temas: Acesso Material à Justiça; Política Judiciária de Tratamento Adequado dos Conflitos de Interesses; a Resolução 125 do CNJ; O Conflito e suas Dimensões. A Conciliação Eficaz e Eficiente; a importância da Postura Pró-ativa do Magistrado do Trabalho; Relevância e Papel da Conciliação no Processo do Trabalho; Técnicas Aplicadas à Conciliação Judicial; Engenharias de gestão conciliatória e Dificuldades concretas na prática conciliatória trabalhista e ações possíveis. A juíza Adriana Goulart de Sena é Professora Adjunta da Facu

"Uma Linda Mulher" por Contardo Calligaris é Psicanalista e Escritor

“Uma Linda Mulher” Contardo Calligaris é Psicanalista e Escritor (*) Se você ama uma mulher por ela ser prostituta, tente entender a fantasia que está atrás de seu amor. Numa cobertura da Vila Leopoldina, em São Paulo, na noite de 19 de maio, Elize Araújo Matsunaga, 30, assassinou o marido, Marcos Matsunaga, 42, com um tiro na cabeça.   Na manhã seguinte, com uma faca de cozinha, Elize esquartejou o cadáver, de modo a poder transportar os pedaços em três malas. Logo, ela foi se desfazer das malas e da faca. Esse fato de crônica tem tudo para se tornar literatura de cordel. Há o sangue frio de Elize depois do crime.   Há a diferença social entre Marcos, empresário e herdeiro da Yoki, que acaba de ser vendida por R$ 1,7 bilhão, e Elize, enfermeira e bacharel em direito, mas de origem bem humilde. Além disso, o ciúme foi um dos motivos : na noite do crime, Marcos acabava de ser confrontado por Elize, que conseguira a prova da infidelidade do marido.   Mais: o

O Fanatismo Religioso entre Outros

   “ O fanatismo religioso entre outros ” "O diabo empalidece comparado a quem dispõe de uma única verdade"   " T odos os crentes parecem escandalosos e indiscretos: procura evitá-los"   (Nietzsche) E m nossa época, supostamente dominada pela ciência e pela tecnologia, o fanatismo parece ser uma reação  made in recalcado do inconsciente da humanidade.  Fanatismo , vem do latim   fanaticus,  quer dizer "o que pertence a um templo",   fanum.     O indivíduo fanático  ocupa o lugar de escravo diante do senhor absoluto, que, pode ser uma divindade, um líder mundano, uma causa suprema ou uma fé cega.   O fanatismo é alimentado por um sistema de crenças absolutas e irracionais  que visa   servir  [1]  à   um ser    poderoso empenhado na luta contra o Mal.     Ou