Postagens

Mostrando postagens de dezembro, 2014

Comer Meleca do Nariz

Comer meleca do Nariz! Recebi um vídeo pelo watsApp de um estudante de psicanálise no qual uma moça sentada no trem; comia compulsivamente meleca do seu nariz, no qual ele afirma que é um processo autofágico de fixação na fase oral. Respondi que talvez sim ou talvez não.·. Na psicanálise coloquial e sem dogmas morais e religiosos, toda a gama de representação de um sintoma não é uma regra geral. E não serve como um uniforme onde se podem vestir as pessoas de forma igualitária dentro de um processo terapêutico de psicanálise adulta ou infantil para um diagnóstico de juízo de cada um. Caso estejamos aqui falando de psicanálise ciência do inconsciente humano e não da ciência do comportamento ou das emoções humanas. Há muito anos atrás dei aula uma escola rural, e meus pequenos alunos e alunas por vez ou outra comiam as melecas, cada um tinha um jeito de comer suas melecas. Na época observei que comiam melecas, quando se atrasava um pouco o horário do intervalo (r

A FÓRMULA DO AMOR ?

Será que descobrirmos a fórmula do Amor? A ocitocina é um hormônio que uma vez liberado pelo cérebro com saúde e em saudável ambiente familiar, existe e estimulado tanto em homens e mulheres desde bebês. Nosso primeiro contato com esse hormônio do amor é com a nossa mãe se inicia na primeira mamada, há pesquisas que ele pode se iniciar ainda na gestação quando a mãe têm uma boa maternagem, bons cuidados afetivos e clínicos durante a gestação e em todo seu pré natal *. * Numa linguagem psicanalítica é o inicio da sanidade neurótica que é uma saída para o trauma do nascer e viver e a imunização gradativa contra a “psicose” infantil ou na vida adulta. É na infância com a  estruturação mental psíquica do “futuro sujeito adulto” que se inicia o imaginário (sem linguagem ainda) se constrói o principio do prazer , ou melhor dizendo seja o bebezinho tem sua compensação imediata da vivência e do desconforto de estar fora da mãe e  do trauma do nascimento nas mamadas iniciais;  que d