Postagens

Mostrando postagens de 2013

A Verdade toca o real sem Palavras....( Lacan )

“ Digo sempre  a  verdade .  Não toda ...  pois ,  dizê - la toda ,  não se consegue ... .  Dizê - la toda  é  impossível ,  materialmente ...  faltam  as  palavras .  É justamente por esse  impossível ... que a  verdade  toca o Real.”.   Lacan (1973)

Ho....Ho...Ho....estou indo revisitar o édipo parental.....mas volto logo....

Estou indo revisitar o meu Édipo parental, mas volto logo...  Claro não sou Louco de ficar por La... HO...HO....HO..... Quero agradecer especialmente a você; nessa travessia de engrandecimento humano do ano de 2013 e toda essa caminhada psicanalítica e de amizade e expansão do pensamento da psicanálise que muito têm nos feito amadurecer e enxergar a Alma humana, compreender suas aflições para busca de alívio e estabilidade afetiva e viver bem. Espero que em 2014 estejamos juntos na travessia cada vez mais descobrindo que Freud explícita e Lacan implícita, essas muitas verdades da Alma e psique humana, doa a quem doer. Mas a “dor” na psicanálise depois de algum tempo é anestésico para viver o dia a dia;  e enfrentar muitos “venenos” seja no ambiente de trabalho, na família e em nossas relações sociais, afetivas e parentais. Durante todo processo de se sujeitar-se a fazer a “análise” dói em mim (analisado) depois de algum tempo da sua “análise”,   você já poderá afi

A Psicanálise Liberta as Crianças Daquilo que Elas Ouvem de Pais e Educadores

A Psicanálise liberta as crianças daquilo que elas ouvem Quando atendemos crianças em psicanálise podemos libertá-las através das palavras daquilo que elas ouviram e ouvem dos seus pais e familiares, como bem nos lembrou, Françoise Dolto, psicanalista francesa. Palavras que podem ter sido enunciadas em momentos de raiva, sofrimento ou quando suas mães não “sabiam” que aquilo que elas diziam, afetariam negativamente seus filhos. Pois á maioria das vezes as pessoas dizem   brincando   algo que faz muito mal. Lembro-me de uma mãe que chamava seu filho de “porcaria” e acreditava que era algo carinhoso, uma outra quando queria fazer um carinho no filho dava  “palmadinhas” nele, “de forma leve para não doer”, ela dizia. Na verdade tanto em um exemplo quanto no outro, os filhos foram marcados em seu corpo por esses atos e os repetiam na vida adulta, e isso os atrapalhavam. Pois acreditar que se é uma porcaria ou que palmadas são carinhos, não pode trazer nenhum benef

Os Efeitos Colaterais se a Infância do Adulto Morrer....

Quero Meu Balão Mágico de Volta Não deixe sua Infância Morrer. Tenho observado o quanto mudou a infância nos últimos tempos e na data comemorativa que foi o dia das crianças. Isso me levou a essa breve reflexão pela simples escuta e olhar psicanalítico.   Passando por algumas lojas vi “pais”, tias e avós a se balançar como se a dançar-se “disfarçadamente dentro das lojas com musiquinhas “infantis” e ao mesmo tempo vi algumas crianças apáticas que nem tinham noção de que a música era aquela que tocava e a remetia a lugar nenhum”.   Inclusive o interessante é que vi algumas “crianças” olharem para seus pais, tios ou avós com um olhar de reprovação ou indiferença na dancinha sutil daquelas músicas infantis. Mas quando as músicas mais antigas e infantis paravam, e ouvia-se uma espécie de batida funk com letras “mais” agressivas e de revolta, aí nisso vi algumas crianças se sintonizarem ao ritmo dessas músicas e se voltarem com um olhar meio que “perverso” para seus pais e cui

A Angustia e a Resistência para o Saber e Amar"

“A Angustia e a Resistência para o Saber e Amar” Embora na psicanálise quase nada seja “objetivo” racional ou consciente neste artigo oportunizo-me escrever-lhes uma reflexão de nossas vidas e acho que muito de nossa angustia  “inconsciente”  é também uma forma de resistência ao amar e ao saber; Saber de um novo caminho; aonde vamos descortinando à medida que nos permitimos ler e “pensar” a vasta literatura psicanalítica freudiana e lacaniana que nos leva a repensar nossa própria vida. Para muitos de nós mudanças como: uma casa nova, trocar de carro, trocar de amor, mudar escola, mudar para outra empresa, mudanças de regras e normas no ambiente de trabalho ou religioso geram angustia e resistência. Mesmo a mudança de cargo ou às vezes mudança para outra cidade ou até país tudo isso nos envolve num processo de angustia e resistência. Na psicanálise até mesmo simples eventos pode nos fazer entrar em processo de sofrimento neurótico e devido à resistência. Para nós

O Ciúme é Veneno

O Ciúme É o Veneno Residual do Édipo Para Nossos Relacionamentos Apesar de muitas pessoas acreditarem que o   ciúme é o tempero da paixão ou do amor,   devemos lembrar que até o uso de tempero tem contra-indicações e o desconhecimento da medida pode intoxicar, no nosso caso aqui intoxicar as emoções, destruir a auto-estima. E saiba-se também que o tempero que é bom para uns pode ser veneno ou até causar alergia emocional e ser letal para outros. O ciúme no sentido analítico coloquial não é de cuidado com o “outro”, mas o de cuidado com a minha “posse” com a aproximação de algum outro que não faça parte desse meu “objeto primevo/faltante” de paixão ou amor. Quem convive com um ciumento (a) tem que ter cuidado, e estar sempre alerta. Já tive pacientes que desenvolveram no casamento,  síndrome do pânico, pelo fato de ter que estar sempre alerta as suas vestimentas, a quem a olhava, a quem a cumprimentava, algumas delas desenvolveu a síndrome do pânico como mecanismo de d