domingo, 30 de novembro de 2014

Psicanálise é a ciência da Libertação Humana

“A psicanálise é, para mim, a ciência da libertação humana. 

Quem fala em liberdade humana fala sempre em comunicação e encontro. 

A psicanálise é,  portanto, a ciência da comunicação e do encontro. 

O trabalho psicanalítico visa a construção de um encontro entre duas liberdades. Isto significa que a psicanálise visa o encontro entre duas pessoas, já que o centro da pessoa é a liberdade.

 Não há liberdade sem abertura ao Outro, sem consentimento na existência do Outro como tal e enquanto tal.
 

Os distúrbios emocionais podem ser conceituados como limitações estruturais dessa abertura, implicando uma perda em disponibilidade com respeito ao Outro.
 

Se minhas ansiedades básicas exigem de mim que faça do Outro um instrumento do meu esquema de segurança,  já não posso aceitar o Outro em sua essência de ser-outro.
 

Vou inventá-lo à imagem e semelhança de meus temores, torno-me o eixo da referência ao qual o Outro deve referir-se e submeter-se.

A psicanálise, sendo um longo convívio humano antiautoritário, é um chamamento à liberdade e à originalidade do paciente e do analista, para que ambos assumam a alegria da comunicação autêntica”.
 

 O Outro é o que importa, antes e acima de tudo. 

Por mediação dele, na medida em que recebo sua graça, conquisto para mim a graça de existir.

É esta a fonte da verdadeira generosidade e do autêntico entusiasmo:  Deus comigo.

 O amor ao Outro me leva à intuição do todo e me compele à luta pela justiça e pela transformação do mundo. 

*Hélio Pellegrino era Psicanalista  ( in memorian)


Nasceu em Belo Horizonte, em 1924 e morreu no R.J em 1988. Foi Psicanalista , Escritor e Poeta brasileiro, célebre por sua militância de esquerda e por sua amizade com os  Fernando Sabino,  Paulo Mendes Campos  e Otto Lara Rezende.