segunda-feira, 31 de outubro de 2016

A LINGUAGEM DO SER E FAZER NA PSICANÁLISE...

PARA REPENSAR:

" NÃO SEI FAZER COM AQUILO QUE  SOU E NÃO SOU AQUILO QUE  FAÇO. A PSICANÁLISE É ESSA FERRAMENTA: A  (ANÁLISE)  ENSINA NOS; AO NOSSO SUJEITO (RESSIGNIFICAR-SE)  E HABILITA A VIVER BEM E NÃO SE OBRIGA A VIVER FELIZ. OBRIGAR O SEU "SUJEITO" A VIVER FELIZ E A CONSUMIR O/SER FELIZ NA SUA "FALTA" É COLOCAR_LHE EM DESGRAÇA ETERNA..."

www.drluiz.com

terça-feira, 2 de agosto de 2016

DECLARAÇÃO DE UMA PACIENTE....

NO DIVÃ...

UMA PACIENTE ME DISSE A SEMANA PASSADA, QUE VIR AO MEU CONSULTÓRIO, É COMO VISITAR UM PÉ DE VENENO....

COM A DIFERENÇA....

QUE ESSE VENENO NÃO MATA O NOSSO CORPO...

MAS MATA VELHOS PENSAMENTOS, VELHOS AMORES
MATA A SEDE DE MORRER...


UM VIVA PARA FREUD & LACAN....

www.drluiz.com


sábado, 9 de abril de 2016

Traição é o pior do Real se Revelando-se

Olá !

Na psicanálise em algumas situações onde se há um "espaço" a ética e o desejo nem sempre é algo tido como bom ou positivo num sentido social.

O sujeito (da análise) descobrirá o real do seu desejo um novo repensar de tudo, mas porém nem tudo são flores ou rosas; também vai descobrir que não poderá se omitir da sua responsabilidade, da sua palavra e discurso com o "outro".

Em toda relação em que for "omitida" a palavra o discurso, sempre haverá "Traição". E  essa se dará sempre na falta, no buraco edípico, não há falta para o "Traído" (a) mas para com o traidor (a).

Mas quem "traí" apenas está se expondo o pior do seu real, restos e inominável da sua mente; esclarecendo que para a psicanálise a traição não é comportamental e nem cultural mas sim uma espécie de abismo e buraco no édipo do sujeito que pode ou não tamponar isso com alguma crença, vestimenta, justificativa ou inclusive uma excelente educação e criação. 

Lacan (insinua) sublima em seus seminários que seria do ser humano se esse; (resto do real) não simbolizado viesse a tona como seria o ser humano hoje.

Uma abraço a todos; 
Traídos e traídas; 
Bem vindos a Corte terra firme dos Afetos. 

O sujeito que se assujeita ao "divã" e for (psicanalisado) com imparcialidade e de forma amoral vai lidar melhor com as perdas e traições, muitos se superam ficam ricos, obtém saúde e novos amores e sabores; sem medo de ser feliz. 

Dr. Luiz Mariano 

quinta-feira, 3 de março de 2016

PARA PENSAR

"O ÚNICO LUGAR QUE VOCÊ PODE AMAR E ODIAR SEM MORRER DE ÓDIO É DENTRO DO SEU COMPLEXO DE ÉDIPO. É NELE QUE VOCÊ "APREENDE" A AMAR MUITOS AMORES PARA TODA VIDA OU TAMBÉM SE ISOLA ESPERANDO A MORTE TE DIZER VEM AMOR....."


www.drluiz.com 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A Felicidade mora na magia das palavras do acaso...

No olhar da laicidade da psicanálise o sujeito que quiser ser sempre bom.

 Nunca será o suficiente bom para o outro na demanda do desejo e do narcismo.

E corre sério risco de ser explorado em sua pretensa pratica de bondade, dentro do seu clã familiar edípico.

Nessa situação haverá trocas e negociatas bizarras, sublimadas em qual só o neurótico se permitira e até adoecimentos em nome do "outro".

(Lacan) diz: "Felicidade não é bem que se mereça..."

Talvez porque a "Felicidade" para psicanálise não seja um "negocio" a "Felicidade" a não é a realização e a conquista material ou patrimonial dentro da sociedade ou seu clã familiar.

Felicidade é o sujeito se qualificar pela vida com o que se tem e que se pode pelo seu próprio mérito e isso é bem diferente.

Felicidade é o sujeito ser e ter uma vida qualificada e isso é bem diferente de ter qualidade de vida margeada pelo consumo.

Felicidade na psicanálise é o encontro com o "acaso", felicidade é a magia das palavras que qualifica o sujeito para a vida que ele pode;  e que ele tem com toda capacidade de ressignificação do seu pensar e da sua angustia.

A palavra é magia na psicanálise, ela ressignifica e da novos olhares, escutares e sentidos na vida., não existe nada além dessa palavra.

O imaginário só existe na expressão  da palavra, o imaginário só consome além da conta quando a palavra não se articula no pensar do sujeito "consumidor"

Essa palavra não é a "fala , blá, bla" as queixas e mentiras que se vive do dia-dia, que não movem o sujeito.

A palavra da psicanálise * (em análise) pode até  recriar um no gênesis do repensar o que se pensava que era.

A palavra na psicanálise embora vá na contramão de muitos costumes e usos, é aquela em que o sujeito pode livremente expressar o seu desejo.

A psicanálise vai sempre pela contramão do que se fala, se escreve e se diz por aí.

No percurso de psicanálise cada um ao seu tempo, e cada um poderá  ou não se permitir ao acaso, novos pensares vai descobrir que estamos numa sociedade cheia de sujeitos bons e moralizados e infelizes.

Psicanálise dá uma basta a fala sem sentido  e um blá blá que não muda nada nas relações familiares e afetivas.

A felicidade mora nas palavras do desejo inominado e esquecido

Bons  pensares  e repensares a todos

Abs.

 Dr. Luiz Mariano

www.drluiz.com