terça-feira, 28 de abril de 2009

SAP = Síndrome de alienação parental

 

 


Síndrome de alienação parental

 

 
Síndrome de alienação parental (SAP),
Também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner em 1985 para a situação em que um dos dois pais de uma criança a treina para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao genitor que causa a situação (e não ao que é vítima dela).
 
Características Básicas
 
Habitualmente é um fenômeno desencadeado por um dos genitores em relação ao outro, do mesmo modo que não é necessariamente causada por divórcio ou separação, mas também pode ser provocado por outra pessoa distinta do guardião do menor (novo companheiro(a), avós, tios, etc.).
 
Também se tem observado casos dentro de famílias intactas (que não sofreram separação), ainda que sejam menos frequentes.


Gardner distinque três tipos de SAP: leve, moderada e aguda, aconselhando diversas formas de ação para cada um dos tipos e destacando a importância de distiquirem que caso se está atuando.
 
Atualmente existe muita informação sobre este fenômeno, o qual há possui legislação espícifica sobre a matério em diversos países, sendo incluindo no Código Civil de diversos estados dos EUA e México.
 
O Tribunal Europeu de Direitos Humanos de Estrasburgo também o reconhece igualmente em diversas sentenças sobre temas de família.
 
É característico dos filhos que estejam envolvidos no processo de divórcio, visto que é provocada pelo genitor alienador mediante uma mensagem e uma programação contituindo o que normalmente se denomina lavagem cerebral.
 
Os filhos que sofrem desta síndrome, desenvolvem um ódio patológico e injustificado contra o genitor alienado que tem consequências devastadoras para o desenvolvimento físico e psicológico destes. Consequentemente a síndrome afeta também a familiares do genitor alienado, como avós, tiois, primos, etc.
 
Outras vezes, sem chegar a sentir ódio, a SAP provoca nos filhos uma deterioração da imagem do genitor alienado, resultando em valores sentimentais e sociais menores do que aqueles que qualquer criança tem e necessita: "o filho
 
(a) não se sente orgulhoso de sua mãe/pai como os demais crianças".
 
Esta forma mais sutil, que se valerá da omissão e negação de tudo o que se refere a pessoa alienada, não produzirá danos físicos nos menores, mas sim em seu desenvolvimento social e psicológico a longo prazo, quando na idade adulta exercerão seu papel parental.
 
Crianças vitimas da Síndrome da Alienação Parental são mais propensa a:
 
1)Apresentar distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico.
 
2)Utilizar drogas e álcool como forma de aliviar a dor e culpa da alienação.
 
3)Cometer suicídio.
 
4)Apresentar baixa auto-estima.
 
5)Não conseguir uma relação estável, quando adultas.
 
6)Possuir problemas de gênero, em função da desqualificação do genitor alienado.
 

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Relações daninhas e os seres tóxicos

 
 
 

 

 

"Relações daninhas e os Seres tóxicos


O ciúme, o desejo de sucesso e de amor exclusivo estão na origem dos vínculos daninhos.

Há seres tóxicos capazes de nos infectar com sua negatividade, mas também antídotos

e técnicas para livrar-se do que nos amarga a vida e nos impede de crescer

Há pessoas em nosso entorno familiar, laboral ou social, cujos comentários

e atitudes nos complicam a existência.

Gente perigosa para nossa saúde mental, emocional e física, das quais convém

manter distância, ou pelo menos limites definidos, se não temos

mais remédio que conviver ou nos encontrar com essas pessoas tóxicas.

Quem quer que nos aflija com sua atitude, que não nos deixa crescer,

 não se mostra contente com nosso sucesso e que põe barreiras a nossos

esforços para sermos mais felizes, pode ser considerado

 uma pessoa tóxica para nossa vida, embora para qualquer outro indivíduo seja inofensiva.

Para a psicóloga americana Lillian Glass, a raiz

de toda toxicidade nas relações humanas são o ciúme.

Por que algumas pessoas próximas, queridas ou amigas, nos ferem,

 se enfadam, tentam vencer-nos, buscam nos desagradar ou tentam

prejudicar-nos com frases sarcásticas ou respostas que desanimam

ou ao alegrar-se falsamente de nossa felicidade ou êxito?.

Por que nos fazem críticas destrutivas?,

"Devido aos ciúmes e sua concomitante inveja",

comenta Glass, para quem o descontentamento e os sentimentos de insuficiência

provocam a ânsia de posse, de êxito e do amor

de outras pessoas, assim como o desejo de tê-las para si mesmo, exclusivamente.

Caldo de cultivo: o ciúme

A frustração de outras pessoas que nos vêem como vencedores e consideram

a si mesmas perdedoras, os impulsiona a machucar-nos mental e verbalmente,

 e às vezes inclusive mediante a violência física.

Também os levam a envolver-nos em jogos maliciosos,

palavras cruéis e comportamentos sujos.

O ciúme ou a falta de amor próprio são a razão de muitos comportamentos negativos

em relação a nós, mas também a causa encoberta de condutas similares de nós para com os demais.

Para reconhecer as condutas tóxicas é preciso olhar para si mesmo ou fazer com que a outra pessoa o faça.

Quem é crítico em relação a outro indivíduo deve examinar suas razões; uma pessoa honesta normalmente

 encontrará algum motivo para sentir ciúmes: por exemplo, possuir algo

que o outro deseja ou lhe falta, ou o sentimento que a outra pessoa tem mais ou lhe seria melhor.

A doutora Lillian Glass, que faz uns anos publicou um livro sobre as relações tóxicas

 que rapidamente virou sucesso de vendas, evidenciando a magnitude deste

 tipo de comportamentos, sugere empregar de certas técnicas para que os

ataques emocionais de pessoas tóxicas não repercutam sobre nossa saúde física e mental.

Para o especialista, isto é uma questão de sobrevivência, porque boa parte do

 bem-estar e sucesso em nossa vida dependem de nossa força psicológica e emocional.

Às vezes, para resistir à toxicidade alheia ou tentar que não nos afete, se recorre

ao consumo de drogas, tranqüilizantes ou alimentação compulsiva.

Mas isso só é uma forma de autodestruição inconsciente, que só ocasiona que essa situação

negativa se aprofunde quando passaram os efeitos aparentemente

prazerosos desses métodos para fugir da realidade.

Também não é preciso responder com a violência física, já que as agressões

aos indivíduos tóxicos só conseguem convertê-los em vítimas, enquanto

que de fato são os verdadeiros agressores, o que realimenta seu papel negativo

em nossa existência: é como tentar apagar um incêndio jogando mais combustível."
....

"Para conseguir uma convivência tranqüila e feliz,

o especialista sugere aplicar uma série de antídotos contra a negatividade."

...

"Também é importante deixar de pensar todo o tempo no problema,

o que só contribui para amplificá-lo,

já que a mente é como uma lupa: aumenta aquilo que foca.

Existem momentos em que uma pessoa tóxica parece colapsar nossa mente,

convertendo-se na única coisa em que podemos pensar, o que é prejudicial.

É preciso gritar ou dizer mentalmente

 Pare de pensar!

e apoiar esta expressão com frases positivas,

como "sou importante", "minha vida é valiosa" ou "me sinto feliz".

A técnica do espelho
...

"Outra tática conveniente consiste em perguntar com tranqüilidade.

Para que os indivíduos tóxicos vejam quão absurdas são suas idéias,

comentários e atitudes, o melhor é formular dúvidas simples que

se convertam em uma progressão lógica que vá desbaratando seus argumentos,

 um depois de outro.

A aqueles que odeiam os negros pergunte se conhecem muita gente de cor?,

conviveu com ela?,

alguém o odeia por ser quem é?. Suas respostas evidenciarão

o ridículo de suas idéias.

E sempre haverá mais perguntas para colocar-lhes em evidência.

Embora pareça difícil, é preciso tentar empregar a cordialidade.

Converter o enfado em amabilidade é uma resposta ideal frente a muitos que são duros.

Os motivos de sua atuação costumam ser a insegurança e a falta de amor próprio.

Ao saber que essas são as causas de sua toxicidade,

pode controlar a injúria e transformá-la em amabilidade.

Muitas pessoas que tratam com o público

fazem uso desta capacidade, que dá frutos assombrosos.

Outro antídoto para a toxicidade mental, consiste em desprender-se de qualquer emoção

 a respeito da pessoa venenosa:

 tirá-la de nossa vida, não preocupar-se com ela,

não desejar-lhe nem bem nem mal, visualizar

 a desconexão com ela, deixá-la para trás."

Por María J. Ribas


quarta-feira, 1 de abril de 2009

É a Crise.....

01/04/2009
Desde que sou gente.....
nascido...no interior...
na roça...
Ouço falar de Crises.....
Fim do Mundo.....
Fim dos tempos...
Fim...Fim.....
E sempre me deparo com
um recomeço;...um ressurgimento...
Nesse fins e fins.....
Há muita gente que surta,
adoece
e morre..
Guerras e muitas outras
misérias humanas...
Há crise deve existir....
mas seu poder é limitado;
pela força ou credibilidade que
damos a mesma
ou penso e a sinto.
A pior crise
É a da Alma;
a Crise Existêncial;
Crise de valores
éticos e morais.
A Crise de valores de
liberdade confundidos
a libertinagem
e falta de limites
A crise espiritual...
crise religiosa cultural
já emplacou
grandes guerras,
Inquisições e muita
dor para a humanidade.
Re-escreveu toda uma
história apocalíptica
a favor da Verdade
de alguns
líderes e religiões do Mundo.
Hoje basta ligar a TV
nos finais de Semana;
de madrugada e a qualquer
hora e já vemos a
"Crise"
imposta a
a Deus e a Jesus.
Têm gente que
têm uma astúcia para fazer o mal
que usa
os chifres do Diabo;
sem o Diabo saber;
depois;
quer botar a culpa no
Diabo e este
nunca assume
Culpa.
O Diabo é apenas
aquele que cobra;
é a lei do retorno,
semear e Colher.
Quando é para seu Bem, Deus
ou algum líder religioso
leva os agradecimentos.
Quando é o mal; olhe ultimamente
têm coisas tão estranhas nas atitudes
e comportamento dos
seres humanos;
que nem o Diabo mais anda
querendo essas
Culpas e punições..
Muitos depois
querem que Deus ou Jesus,
ou sei lá mais quem
lhe socorra;lhe salve
de qualquer jeito.
Na TV a
Crise "Religiosa"...
Ninguém perguntou
para ninguém...?
se você quer ver isso ou
aquilo na TV.?
Os mercadores da fé vão lá compram
espaços na TV
em cumplicidade com o poder público.
São negociados a valores altos;
espaço e tempo nas Tvs.
É o verdadeiro milagre da
multiplicação dos metais;
pois todos os que "precisam e buscam"
sua cura ou salvação é lhe
imposto a condições
através
de atravessadores da fé.
Afinal é a "Crise"....
O ser humano vive em Crise.....
desde o feito...feto; desde
da escola, da
cultura, e da sua
vida em Sociedade.
Resta saber;
onde essa estrada
"Crise"
me levará ou
ou levaram a todos Nós.
Muitos aproveitam esse terror
"Crise"
cultuado pela mídia;
endossado por poderosos
líderes
políticos e Capitalistas
para aumentar mais ainda
alguma foram de
ganho ou de
uma ilusória segurança atemporal.
É a crise deveria ser
momento de repensar muita coisa;
e ver ou viver somente com
o essêncial.
Muita coisa da "Crise"
é pura vaidade
e orgulho.
Que apenas divide-nos
cada vez mais;
promovem desamor
entre os semelhantes.
A Violência eclode
sem Cura,
e seu remédio produz um alivio
sintomático e momentâneo.
A Violência sim é Crise;
uma patologia da família, educação;
do individuo que adoeceu-se
na arte de amar e ser amado.
Lembre-se sempre;
a fé é uma atitute mental
e espiritual
interior positiva.
A Fé e a Crise do momento é para nossa
libertação e crescimento
sem intermediários;
para acessar
o Deus do seu Coração.
A Nossa fé deve ser as bases que venha
a refletir em nossas ações de praticar
o bem e o amor ao próximo
todos os dias e momentos
de nossas Vidas.
Paz e Bem !
Luiz
Psicanalista/Psicoterapeuta